terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Bomba: O maior escândalo de todos. Muito maior do que a Lava Jato. Assista! Compartilhe!


Pobre Lava Jato…

Urgente!!

PT / PMDB / PSDB juntos investigados em operações ainda muito sigilosas e gigantescas. Valor estimado em desvios, no FGTS e demais fundos seria na ordem de R$ 1.000.000.000.000,000,00!!! Assustou com tantos zeros? Então vamos lá, o mega escândalo tem um valor superior a um trilhão de reais! Pobre Lava Jato..


http://www.jornaldopais.com.br/bomba-o-maior-escandalo-de-todos-muito-maior-do-que-a-lava-jato-assista/

As moscas estão zunindo por aqui


Elas atiçam nossos instintos mais primitivos. Nossos pensamentos mais torpes e violentos de destruição em massa. Pensamos em alguma bomba nuclear, extermínio cruel, veneno milagroso. Mas no máximo, as atacamos de pijamas e tentamos pegá-las – ao menos algumas – com ridículas raquetes elétricas xingling, e só pelo prazer da vingança de ouvir aquele barulhinho de fritura e sentir o cheirinho do queimado. São fêmeas empoderadas, cheias de querer, de fome de pele, suor, sangue. Atacam à noite, e são capazes de estragar todo o seu dia seguinte. Deixam marcas e suas passagens sempre têm o forte alarido; fazem muito barulho com suas asas batendo em nossos cangotes, provocativas, roçando nossos ouvidos
ZZZZZZ.
As moscas, as pernilongas estão chegando. Não querem mais cair na sopa, mudaram o paladar. Querem gente, mostrar todo o poder dos insetos sobre a raça humana, e que não há metrópole que as assuste. Não deviam mais ser a manchete de todo ano, todo verão, mas estão aí e são cada vez mais poderosas, numerosas, agressivas e com capacidade de guerra mortal multiplicada. Algumas tipas vestidas de listrado trazem em si a tragédia causadora da zika que compromete gerações futuras, da chikungunya, que imobiliza, da dengue, que derruba. Assassinas.
Não dá para não lembrar o que, para mim, é um dos principais filmes de terror da história do cinema, quiçá da humanidade, e não teve a participação nem de Hitchcock, nem de Boris Karloff: “A Crônica de Hellstrom”, premiado documentário americano de 1971, sobre os insetos e sua absurda capacidade de sobrevivência. Quem viu traumatiza pra sempre.
Pois eles, esses pequeninos monstros, estão aí para não nos deixar mentir (nem dormir em paz). Atacando sem dó no país que não se livra das mazelas, as cultiva. Não limpa seus rios, os suja. Misérias que criam criadouros de comunidades inteiras de coisa ruim. No país que consegue até a volta de doenças erradicadas, e notícias de surtos assombram, febre amarela, urina negra. Outro dia, lá em Roraima, acharam um foco de barbeiros causadores do Mal de Chagas. Sabe onde viviam? Pensam que estavam numa casa de taipas, de barro, de tijolos? Não, estavam confortáveis dentro de um ar condicionado de uma residência de alto padrão. Subiram na vida. Pelas nossas costas. Pelas nossas pernas, pelos nossos braços. Fazendo a gente se coçar.
Não é para se preocupar? Aqui em São Paulo está havendo uma séria infestação de pernilongos (pernilongas, que são as que mordem, igual a presidentas). Se ainda não foi uma de suas vítimas, procure saber. Falam que são daquelas mais simplesinhas, populares, zumbido em língua portuguesa, e aquela preguiça tradicional. Depois que nos picam e enchem as suas barriguinhas precisam descansar um pouco. Se encostam na parede para o amadurecimento dos ovos. Evitam principalmente o voo para economizar energia. Voltam a atacar logo após a postura dos ovos. Boa hora – essa de sua distração – inclusive para ganharem uma boa e bem acertada chapoletada para voarem longe antes de descarregarem seus milhares de ovinhos em nossas coisas pelas redondezas, como fazem.
Claro, lembre que esse assassinato deixará marcas de sangue espatifado nas paredes – provavelmente o seu mesmo.
Em Minas Gerais, o bem sério surto de febre amarela. Transmitida por quem? Pelo mesmo Aedes aegypti, o pernilongo de facção criminosa, que também passa a febre amarela urbana; as espécies Haemagogus e Sabethe transmitem a febre amarela silvestre – animais silvestres infectados fazem parte desse ciclo. Já se analisa se têm a ver com a tragédia da lama de Mariana e no Espírito Santo (para onde também correu essa lama) já há quase uma centena de mortes de macacos infectados
Tudo de ruim ultimamente passa por essa pernilonga Aedes (os machos, meio cafetões, ficam por perto só esperando que as moças voltem para seus ovos, ou procurando alguma que tenha zumbido bom para copular e criar mais pernilonguinhos).
Pernilongos andam grandes distâncias, de carona. Todos os meios de transporte, inclusive elevadores. Quando fixam residência ficam por ali sempre num raio de 300 metros. Com 270 a 307 batidas de asas por segundo, as ondas se propagam pelo ar e são o zumbido infernal que nos atormenta. Escolhem suas vítimas por cheiros e uma pesquisa disse que adoram bebedores de cerveja, cheiros que detectam a 36 metros de distância.
Longe de mim pretender que vocês agora tenham mais pesadelos ainda com esses monstrinhos de milímetros, mas com toda essa movimentação mundial parei para pensar que talvez também haja êxodo desses insetos, de mais variedades de suas espécies, e nossas políticas de saúde pública não são as melhores. Bem, nossas políticas todas não são as melhores.
Já pensaram? E se acaso a tsé-tsé resolver também vir morar aqui no país da malemolência?

ZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
(*) Marli Gonçalves, jornalista – Depois que infesta, eles, os que mandam, saem correndo para mitigar, fumigar, fumaçar os bichos. Neste progressivo país, vale lembrar que ainda tem as pulgas e baratas. Os carrapatos. Principalmente os que grudam no poder. Os escorpiões que nos picam todo dia com suas traições
São Paulo, calorento, insone, 2017

Tenho um blog, Marli Gonçalves, divertido e informante ao mesmo tempo, no http://marligo.wordpress.com. Estou no Facebook. E no Twitter @Marligo

O povo não sabe a força que tem



É inquietante ver a passividade do brasileiro diante dos nossos dramas sociais, das falcatruas políticas, da falta de respeito que nos é imposta todos os dias nesse país, sejam elas na esfera pública ou privada. No entanto, ficamos apenas com a indignação, verbalizado pelo que escrevemos ou falamos, e mais nada. Somos incapazes de nos reunir em dezenas, centenas, milhares de pessoas. Nos falta a capacidade de nos mobilizarmos em torno de uma ideia, de um propósito, de um movimento e, assim, ir às ruas e protestar.
Dessa maneira poderíamos externar para a opinião pública o nosso descontentamento, a nossa revolta, a nossa indignação e o nosso objetivo pela busca de uma mudança. Por outro lado é curioso quando nos mostramos hábeis em criar movimentos de protestos de interesses de uma entidade de classe ou de determinado segmento da sociedade, como marcha da maconha, passeata pelos direitos dos homossexuais, pela saída do presidente da CBF, marcha dos Bombeiros, enfim, os mais diferentes movimentos. Detalhe importante, não estou aqui condenando nenhum desses movimentos citados por mim, muito pelo contrário, defendo a idéia deles existirem e os parabenizo pelo engajamento nas suas reivindicações.

Estranho é o fato de não ver a população se mobilizar em torno de um movimento de interesse geral, como ir as ruas da mesma maneira e protestar contra os mais escabrosos acontecimentos que mexem diretamente com a realidade do nosso dia-dia. As grandes mudanças que ficaram conhecidas historicamente no mundo tiveram o povo como seu protagonista. O povo não sabe a força que tem. Embora nos soe como frase de efeito, ela retrata o poder de uma arma forte e indestrutível, que porém, não sabemos usar. Pobre da sociedade que é escravizada pela sua própria omissão.


por Paulo Cesar PC

http://detudoumpoucominhaopiniao.blogspot.com.br/2011/08/o-povo-nao-sabe-forca-

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Retrato da revolução pela corrupção com dinheiro do povo Brasileiro


O artigo “Um retrato da revolução pela corrupção” de Augusto de Franco prova de uma maneira que vale mais do que mil palavras, os crimes de que temos sido vítimas nas últimas 3 décadas.
A Operação Lava Jato há muito que está travada e apenas rastejando, lentamente, com o apoio popular e internacional, para tentar apurar todos os crimes, roubos e desvios do dinheiro do povo brasileiro. Exatamente nestes dois últimos meses – dezembro e janeiro – ela foi totalmente paralisada, com todos os processos já prontos e encaminhados ao STF arquivados na “cesta” Seção, e provavelmente será enterrada ainda em março, logo após o Carnaval!
E nem conseguiu abrir a caixa preta do BNDES e muito menos arranhar por fora a maior de todas as caixas pretas – a do Sistema Financeiro que abrange novamente o Min. Fazenda, BNDES, o BACEN, o BB, a CEF e Bancos Nacionais e Estrangeiros que operam no Brasil. Tudo isso somado, desde o início da comunização do Brasil, ainda no Plano Real, sob a batuta do Grande Chefão Scholar marxista Fernando Henrique Cardoso – vulgo FHC, com certeza o roubo do dinheiro e do patrimônio do Povo brasileiro e do Brasil ultrapassará a casa dos 8 trilhões!
Isso daria para tornar o Brasil um País moderno, civilizado, com bons empregos e salários decentes, com um belo sistema de saúde, de educação e de Previdência, além de colocar o Brasil entre as quatro maiores economias do mundo!
Foi esse o maior crime que cometeram com o Brasil e o povo Brasileiro: A sua condenação à um atraso de mais de 20 anos em sua evolução e no genocídio de mais de 3 milhões de Brasileiros, mortos antecipadamente pela violência, pelas estradas, vias e trânsito perigosos e por um sistema de saúde sucateado e destruído!
E nunca se esqueçam: nada desses crimes poderia ser feito se não fosse tudo aprovado por todos Poderes Legislativos, desprezado pelo Ministério Público e órgãos de Controle e escondido pelo Judiciário.
E o pior: o Povo brasileiro ainda apoia o mesmo grupo de políticos criminosos que atuou nas últimas 3 décadas de destruição do desenvolvimento e da evolução do Brasil e do Povo brasileiro, que hoje vive a sua maior miséria e risco da História. Até o presente momento não foi capaz de se indignar, com coragem e vontade de defender sua Pátria e sua família e de clamar por Intervenção Militar, a única saída que sobrou, pois a sociedade civil foi totalmente desorganizada e destruída!
Tudo por um Brasil mais ético, justo, civilizado e evoluído para as nossas futuras gerações. É com as ideias que mudaremos o nosso País!
O Livro Evolução Cidadã explica a Política do Brasil através dos tempos e propõe um novo modelo político e organizacional para o Brasil, onde se valoriza os cidadãos, as cidades e se diminui o tamanho e o poder do Estado, bem como se propõe os mecanismos mais efetivos para frear e limitar os poderes dos governantes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e a criação do quarto poder – soberano, que defenderá o Povo e o Patrimônio Público.




Euro Brasílico Vieira Magalhães – Ten. Cel. Ref. FAB, Professor e autor do Livro Evolução Cidadã.

Leia com atenção o Artigo:
Um retrato da revolução pela corrupção

Por Augusto de Franco - 06/12/2016

É uma foto “Histórica”, como alguns gostam de dizer. Trata-se de um instantâneo de parte da delegação que se reuniu em Cuba para o enterro do Ditador Fidel Castro.
Quem está na foto? Além dos Ditadores Raul Castro (de farda, sim a ditadura cubana é militar) e Nicolás Maduro, da Venezuela, os Protoditadores Daniel Ortega e Evo Morales (Correa, do Equador, por alguma razão, não aparece). E aí vem o melhor do registro fotográfico: Lula e Dilma, Vagner Freitas (da CUT), Guilherme Boulos (do falso movimento social MTST) e João Pedro Stedile (do falso movimento social MST). Claro que Fernando Morais não poderia faltar (de chapéu). E o mais espantoso é que pontificou também o investigado da Lava Jato, lugar-tenente de Zé Dirceu, editor do veículo da Rede Suja Opera Mundi, Breno Altman (ao lado de Stédile).
Se havia alguma dúvida sobre a preferência dos Chefes Petistas por Ditadura, a foto se encarrega de dissipar. Se havia algum desconhecimento de que CUT, MST e MTST são organizações hierárquicas e Autocráticas de esquerda, disfarçadas de movimentos sociais ditos "revolucionários", que atuaram no reinado petista como correias de transmissão partidária, o retrato de Famiglia trata de aplacar.
Eis aí o perigo de que, em parte, a democracia brasileira escapou neste conturbado 2016. Não, o Brasil não era uma ditadura (como Cuba). Não, o Brasil não era um país bolivariano (uma invenção da ditadura dos Castro), como a Venezuela, a Nicarágua (outra invenção castrista), a Bolívia ou o Equador. Mas a direção do partido e do Estado ficaram no Brasil, por uma década, nas mãos de pessoas que gostam de ditadura (que reverenciam o Castrismo e apoiam o Bolivarianismo, inclusive financeiramente, desviando nossos recursos para sustentar projetos antidemocráticos mundo afora e, inclusive, para bancar candidaturas de autocratas como Chávez, Maduro e Funes).
As pessoas têm, em geral, dificuldade de entender por que a corrupção do PT - de um Lula e de um Dirceu - é diferente da corrupção dos velhos políticos tradicionais, como Cunha ou Cabral. Não apareceriam no retrato, mesmo se soltos estivessem, Eduardo Cunha e Sergio Cabral.
Mas a foto também esclarece isso. Nela não vemos Renan Calheiros e José Sarney, Jader Barbalho ou Fernando Collor. Por quê? Porque não é um encontro de pessoas que se corrompem apenas para  enriquecer e se dar bem na vida. É uma reunião de pessoas que se corrompem - como lacrou certa vez o já saudoso Ferreira Gullar - para fazer a "revolução pela corrupção”.
Dirceu e Vaccari, ah!... Estes sim, se pudessem, não perderiam por nada o convescote da esquerda marxista-leninista reunida na "ilha paradisíaca". Porque Havana não está apenas a 5 mil km de Brasília. Está em algum lugar do passado remoto.
O que se vê na foto são mortos-vivos, ou seja, pessoas que já morreram enquanto estão vivas. Renato Jannuzzi Cecchettini brincou no Facebook: "Nova Temporada: Walking Dead Cuba, com astros especialmente convidados..."

Mais uma vez se confirma o velho dito de que UMA FOTO VALE MAIS DO QUE MIL PALAVRAS.

domingo, 15 de janeiro de 2017

Candidatura de Lula é uma aposta no cinismo


Dentro de seis dias, o PT deve deflagrar uma cruzada por eleições diretas e lançar a re-re-recandidatura de Lula. Numa reunião do diretório nacional do partido, o pajé do petismo aceitará o sacrifício de retornar ao Planalto para salvar o país. Não é propriamente um projeto político. Trata-se de uma aposta no poder de sedução do cinismo.
Só há uma coisa pior do que o antipetismo primário. É o pró-petismo inocente, que engole todas as presunções de Lula a seu próprio respeito. Isso inclui aceitar a tese segundo a qual o xamã da tribo petista veio ao mundo para desempenhar uma missão que, por ser divina, é indiscutível.
Todos os líderes políticos cultivam a fantasia da excepcionalidade. Mas nunca antes na história desse país surgiu um personagem como Lula. Dotado de uma inédita ambição de personificar a moral, acha que sua noção de superioridade anistia os seus crimes. E avalia que seu destino evangelizador o dispensa de dar explicações.
Não é a hipocrisia de Lula que assusta. A hipocrisia pelo menos é uma estratégia compreensível para alguém que é réu em cinco inquéritos e convive com o risco real de ser preso. Melhor ir em cana fazendo pose de presidenciável perseguido do que amargando a fama de corrupto.
O que espanta é perceber que, em certos momentos, Lula parece acreditar de verdade que sua missão sublime no planeta lhe dá o direito de cometer atentados em série contra a inteligência alheia. Desprezadas a lógica e as evidências, sobram o cinismo e a licença dada por Lula a si mesmo para tratar os brasileiros como idiotas. Mesmo sabendo que já não encontra tanto material.
Blog do Josias de Souza
http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/

Ministro do gabinete da GSI descobre obstrução: Lula e Dilma tiraram câmeras do Planalto


Ministro do gabinete de Segurança Institucional, o general Sérgio Etchegoyen descobriu que o Palácio do Planalto está sem usar câmaras de vigilância desde 2009. Nesse ano os equipamentos foram removidos durante uma reforma feita durante a gestão do então presidente Luís Inácio Lula da Silva.
Etchegoyen disse, em entrevista à Veja, acreditar que as câmaras foram retiradas para que não houvessem registros do que ocorria no local, caracterizando obstrução de Justiça.
O Planalto estava se negando a fornecer os registros solicitados pela Justiça em torno das investigações de combate à corrupção porque não existiam câmaras em operação nos últimos anos, disse o general. Segundo ele, “o Palácio passou anos em que, convenientemente, não se registrou nada”.

https://jornalivre.com/2017/01/14/ministro-do-gabinete-da-gsi-descobre-obstrucao-lula-e-dilma-tiraram-cameras-do-planalto/

sábado, 14 de janeiro de 2017

Com lama pelo nariz, Lula fala em salvar o país


Alguma coisa subiu à cabeça de Lula ao discursar em Brasília num seminário sobre educação promovido por sindicalistas. Em meio a críticas ao governo de Michel Temer, o orador sapecou uma pergunta: “Quem é que vai tirar o país da lama?” E a plateia companheira: “Lula”. Entre os presentes, ironia suprema, estava o ex-tesoureiro petista Delúbio Soares.
Réu em cinco inquéritos - três dos quais relacionados ao petrolão -, Lula apresentou-se como a pessoa certa para livrar o país do pântano. Fez isso sob aplausos de Delúbio, um corrupto de mostruário, sentenciado no célebre julgamento do mensalão. Ou seja: Lula estava completamente fora de si.
Noutra passagem do seu discurso, a pretexto de alvejar Temer, Lula atirou contra o próprio pé: “Quem é o culpado de um jovem de 25 anos estar preso hoje? O que deram de oportunidade para ele quando ele tinha 8 anos? Se não dou educação, trabalho, essa criança vai fazer o quê da vida? A gente percebe que o dinheiro que se economizou na educação no passado está se gastando hoje para se fazer cadeia. E cada vez vai custar mais caro…”
Suponha que o personagem do enredo de Lula tenha acabado de chegar ao xilindró. Preso aos 25, fez aniversário de 8 anos em 2000. Quando Lula foi eleito para suceder FHC, em 2002, o garoto tinha dez anos. Quando Lula se reelegeu, o personagem era um adolescente de 14 anos. Na época em que Lula transformou Dilma de poste em sua sucessora, em 2010, já era um homem feito, com 18 anos na cara. Soprou as velinhas dos 22 anos em 2014, ocasião em que Lula atarrachou a luz do seu poste pela segunda vez. Somava 24 quando Dilma sofreu o impeachment.
Quer dizer: se o sujeito chegou à cadeia aos 25, guiando-se pelo raciocínio do morubixaba do PT, não poderá culpar senão os governos petistas de Lula e Dilma pela falta de “oportunidades” educacionais e funcionais capazes de retirá-lo do caminho do crime.

Lula sempre foi celebrado como um mágico da oratória. Entretanto, ao se apresentar como uma alternativa presidencial limpinha, comporta-se como um mágico tantã, que acredita na própria capacidade de tirar cartolas de dentro de um coelho. Alguma coisa subiu-lhe à cabeça. Não é sensatez. Parece alucinação.

Blog do Josias de Souza

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Abatido, após vaias, Lula discursa e comete um condenável deslize


Desconfortável, em função de um grupo de militantes da ‘Conlutas’ tê-lo vaiado e virado as costas no momento em que discursava durante o 33.º Congresso da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), em Brasília, Lula cometeu um deslize fatal. Ele próprio se condenou.
É provável que entre a maioria dos militantes a tal fala de Lula tenha até passado despercebida, mas o fato é que aos poucos o ex-presidente, nos últimos tempos sempre pressionado, vai se entregando e perdendo seguidores.
No discurso desta quinta-feira (12) Lula, inflamado, vociferou: ‘Quem é o culpado de um jovem de 25 anos estar preso hoje? O que deram de oportunidade para ele quando ele tinha 8 anos? Se não dou educação, trabalho, essa criança vai fazer o quê da vida? A gente percebe que o dinheiro que se economizou na educação no passado está se gastando hoje para se fazer cadeia. E cada vez vai custar mais caro…’
Ora, esse personagem criado por Lula tinha dez anos quando o PT chegou ao poder e 24 quando Dilma sofreu o impeachment.
Portanto viveu o final de sua infância, toda a sua adolescência, e a sua juventude até o momento da prisão, sob o governo do PT.
Qual seria então a resposta para o questionamento de Lula – ‘Quem é o culpado de um jovem de 25 anos estar preso hoje?’
Você, leitor, é capaz de responder?
A conclusão é de que Lula está perdido, sem lenço, sem documento e sem rumo.
E o ‘golpe fatal’ está a caminho. Lula pressente, esperneia e fala bobagens.
Ao final de sua fala, fora de si, Lula garantiu para a platéia apática que voltará a governar o país.
Gonçalo Mendes Neto

redacao@jornaldacidadeonline.com.br

As três coisas que vão destruir a humanidade, segundo Stephen Hawking


Stephen Hawking é um gênio astrofísico mundialmente conhecido por seus estudos sobre os buracos negros e a relatividade. O britânico padece de uma terrível enfermidade degenerativa desde os 21 anos.
Além do filme "A Teoria de Tudo", que rendeu o Oscar de Melhor Ator a Eddie Redmayne, que o interpretou, o físico é conhecido por suas declarações sobre o futuro da humanidade.
Stephen Hawking sempre teve posições polêmicas sobre a fé religiosa e a existência de Deus.
Em setembro de 2014, ele declarou uma posição dúbia sobre o assunto: disse não afirmar, nem negar, a existência de Deus, porque tudo que tem a ver com fé religiosa é inerentemente desconhecido para o ser humano.
Isso não quer dizer que ele tenha deixado de ser ateu. Em entrevista ao jornal espanhol El Mundo, Hawking afirmou: "Não há nenhum Deus. Sou ateu. A religião crê em milagres, mas eles são incompatíveis com a ciência".


Três coisas que vão acabar com a humanidade

Apesar das polêmicas declarações sobre a existência de Deus, Stephen Hawking sempre sustentou que, afinal de contas, cada um tem o direito de crer no que quiser.
Ele não acredita que a religião vá destruir o mundo. Segundo Hawking, temos que tomar cuidado com:

Inteligência artificial

A possibilidade de que as máquinas substituam os homens têm sido o tema favorito da ficção científica nas últimas décadas do século XX.
Houveram grandes detratores dessa possibilidade, e um dos mais ferrenhos é Stephen Hawking. Ele acredita que o desenvolvimento da inteligência artificial é um perigo potencial à humanidade.
Seu principal argumento é: a evolução humana é muito mais lenta que a evolução da tecnologia e é provável que as máquinas alcancem o domínio completo da humanidade.

Vida extraterrestre

"Se alguma vez os aliens nos visitarem, acredito que o resultado seja parecido como quando Cristóvão Colombo desembarcou pela primeira vez na América, que resultou em algo nada bom para os nativos", disse Hawking em uma entrevista ao "The Times", de Londres.
Segundo o britânico, o encontro com extraterrestres não seria nada amistoso. Ele também disse que possivelmente estaríamos em desvantagem, porque pode ser que nos deparemos com uma civilização milhões de vezes mais avançada que a nossa, que poderia rapidamente nos dominar e nos levar à ruína.


Agressão dos homens

Segundo Hawking, a agressividade é uma característica do homem que pode ter sido útil em outras eras, mas agora é perigosa a ponto de poder acabar com a humanidade.
Um dos maiores riscos disso é de uma guerra nuclear, que poderia aniquilar grande parte da população mundial.
Ou seja, se não forem as máquinas nem os aliens, nós mesmos iremos nos matar. Mesmo polêmico, Stephen Hawking, sem dúvida, está certo. Não acha?

Por Tiago Ferreira

http://www.vix.com/pt/bbr/422/as-tres-coisas-que-vao-destruir-a-humanidade-segundo-stephen-hawking?utm_source=facebook&utm_medium=AudienceDevelopment&utm_campaign=VixCiencia&%3Futm_source=Facebook

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

A Feiura é a Beleza que sofre de Timidez


Dizer que uma pessoa é feia é o mesmo que dizer que não existe que é um rascunho descartado, um desenho borrado, uma pintura que não aconteceu. Dizer que uma pessoa é feia é o mesmo que dizer que é inválida, imprestável. Dizer que uma pessoa é feia é o mesmo que dizer que sucumbe como uma morta-viva, que degrada o meio ambiente, que é inconveniente. Dizer que uma pessoa é feia é demonstrar o quanto há de fel no coração, o quanto o coração está enegrecido de raiva, preconceito, frustração, o quanto o coração é pior que o pulmão de um fumante inveterado. Dizer que uma pessoa é feia é ser analfabeto visual, é não possuir uma gotícula de sensibilidade, é ser cego, é estar muito ocupado massageando o próprio ego, é andar de muletas achando que é um corredor profissional. Dizer que uma pessoa é feia é afirmar-se ignorante, é ser daltônico sentimental, é não olhar para o próprio desleixo, é não entender nada de beleza, é viver na completa incerteza, é não entender, é atestar a própria incompetência para viver.
A feiura não existe. A feiura é a beleza que sofre de timidez. A feiura é a beleza que não consegue ser ouvida, porque não ousa, permanece calada, buscando ser esquecida. A feiura é a beleza com crise de identidade, com sentimento de inferioridade. A feiura é o avesso da beleza, o reverso do brilho, da ostentação. A feiura foi inventada para disfarçar a beleza, para que esta pudesse ter sossego, pudesse ir a vários lugares sem despertar a atenção. A feiura é o sossego da beleza.
O problema é que a feiura quis ser independente, ter vida própria, não viver à mercê da beleza, mas sair e encher os pulmões de liberdade. Mas arrependeu-se, porque foi rejeitada. O diferente é rejeitado por quem não o compreende, não o aceita. É a forma de anulá-lo, de extingui-lo. A feiura é a beleza diferente, incompreendida. A feiura é a beleza perseguida, presa, torturada, queimada numa fogueira, acusada de bruxaria. A feiura é a beleza despreparada, inocente, virgem, pura.
A feiura é a beleza que não se mostrou, preferiu permanecer intacta, longe dos carinhos grosseiros de bêbados, longe do apetite sensual de sóbrios. A feiura é a beleza aquecida numa crisálida, é uma rosa cálida, faminta da seiva do amor. A feiura é o teste supremo do amor. A feiura é a beleza que escorregou numa poça. A feiura é o teste supremo da beleza. A feiura é o medo que a beleza tem de despertar de manhã e chocar os outros, não a si mesma. A feiura é a jornada que a beleza realiza por um caminho árido, em busca do autoconhecimento. A feiura é a válvula de escape para viver para si, não para os outros. A feiura é uma máscara carnavalesca, refúgio em busca da alegria. A feiura duela com a beleza, esquecendo-se que duela consigo mesma. A feiura inexiste, não passa de um conceito inventado por quem não tinha imaginação. Ou tinha em demasia.
Como compreender o chamado padrão de beleza? A feiura não existe, mas o padrão de beleza é horrendo. É artificial. Mulheres esqueléticas, caveiras com longos cabelos esfiapados, desfilam por passarelas, corredores injustos, ditando como todas as demais devem ser e se vestir. E todas as demais devem ser magérrimas, ossos envoltos em vestidos de cetim, com pele esticada de avelã, sem qualquer indício de rugas ou gorduras, com olhares esguios e sorrisos de maçãs murchas. A beleza artificial não se alimenta. O alimento é seu maior inimigo. A fome, sua maior companheira, sua maior confidente.
A mulher é bela em todas as ocasiões. Não importa se não tenha certos atributos físicos, somente o fato de ser mulher, de poder dar à luz, de amamentar, de sorrir sorrisos de marfim, de ser leal, dinâmica, forte, segura, a tornam bela. Há mulheres que parecem ter sido esculpidas à mão por um gênio, mas destilam veneno e de nada vale a face de pétala. Há mulheres rústicas na forma, porém, sublimes no trato. Estas, cativam pela voz e cavam a beleza represada na alma, afugentando a feiura, porque sabem que não existe, não passa de uma timidez latente que teima em permanecer.
A beleza está nos corpos levemente roliços, nos cabelos de florestas, nas faces operárias, nas faces lavradoras, onde o suor hidrata e as rugas enfileiram-se, sulcos formados por arados, preparando as plantações vindouras, por máquinas, preparando a produção seguinte. A beleza está no corpo natural, sem implantes, cortes, toques e retoques. A beleza está na pele de riacho cristalino, na música de um violino, nas mãos tenras de emoção. A beleza existe. A beleza é a feiura que teve coragem de aparecer e mostrar-se, de sair do caixote e lutar contra gigantes, como Dom Quixote. A beleza é a coragem, enquanto a feiura é a fuga.
Dizer que uma pessoa é bela é dizer que é especial, única. Dizer que uma pessoa é bela é assumir a própria beleza, é despojar-se da hipocrisia, da vaidade, do sofrimento. Dizer que uma pessoa é bela é ser o espelho pelo qual ela verá seu reflexo. Dizer que uma pessoa é bela é alimentá-la com o alimento da alma, é fazê-la sorrir numa chuva de nuvens, é fazê-la flutuar pelos ares, é enchê-la de satisfação, é ler aquilo que está em seu coração, entalhado em ouro. Dizer que uma pessoa é bela, é dizer que não é tímida, que venceu a si mesma, que retirou o casaco da feiura e o lançou num precipício, que libertou-se do vício da auto piedade, que aceitou a idade. Dizer que uma pessoa é bela é dizer que existe que é uma obra-prima que existe para ser feliz. Dizer que uma pessoa é bela é dizer que a ama.

Elson Teixeira Cardoso

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Quando o bebê de uma aluna começou a chorar, esse professor tomou uma atitude incrível


Muitos professores e instituições de ensino se sentem incomodados com a presença de crianças em uma sala de aula destinada a adultos. Por isso, é muito frequente ver mulheres abandonando os estudos por não ter onde deixar os filhos pequenos. Mas esse professor surpreendeu a todos com sua atitude quando sua aluna decidiu deixar a sala por causa de seu filho, que estava chorando. O professor Sydney Engelberg, da Universidade Hebraica de Jerusalém, estava palestrando sobre comportamento organizacional quando o filho de uma aluna começou a chorar. Ela tentou deixar a sala, se sentindo envergonhada, quando o professor gentilmente pegou a criança no colo e acalmou-a, sem interromper a palestra. Engelber, que tem quatro filhos e cinco netos, permite que suas alunas tragam seus filhos para sala de aula e também os amamentem. De acordo com a filha do professor, ele acredita que nenhuma mãe deve escolher entre a educação e a maternidade.


O professor continuou a palestra como se nada tivesse ocorrido. A foto se espalhou pelo mundo e foi postada em uma rede social pela filha de Engelber. “O jeito que ele vê o conceito de aprendizagem não é só o de absorver os fatos que você deve aprender na classe, mas também aprender valores” disse a filha do professor, Sarit Fishbaine.

Cidade Chernobyl


Provavelmente você já ouviu falar sobre o desastre em Chernobyl, mas vale a pena ressaltar que se trata de uma explosão ocorrida em uma usina nuclear, na antiga União Soviética (Atual Ucrânia). A explosão foi provocada, acidentalmente, por um engenheiro que insistiu em realizar testes sem a precaução necessária. Operando a Usina em menos de 200 pontos de potência, quando eram necessários, pelo menos, 700. O acidente matou muitas pessoas, devido ao contato com a radiação. Todos que trabalharam na contenção dos elementos radioativos, no intuito de salvar a humanidade, morreram pouco tempo depois. Chernobyl, além de um grande desastre, marcou o inicio do fim da União Soviética, pois mostrou como o governo de Gorbachev era inóspito, e só teria avisado a população da cidade laboral de Chernobyl sobre o a dimensão do perigo que corriam, três dias após a explosão da Usina.


A evacuação cidade chernobyl Nesse tempo, cerca de cem ônibus foram enviados para evacuar a cidade, que contavam com mais de 50 mil habitantes. Os retirantes tiveram de deixar tudo que tinham para trás, pois todos os objetos na cidades estavam com uma grande carga de radioatividade.Em cerca de uma semana, a cidade foi evacuada. Mas, espera aí… Será mesmo? Vamos fazer um cálculo rápido: Um ônibus comum agrega, no máximo, 100 pessoas (e estou contando gente pendurada nas janelas, igual ao transporte público no Brasil). Foram 100 ônibus, ou seja, cerca de dez mil pessoas foram embora nos ônibus.Na época, na União Soviética, a média de pessoas que possuíam carros era em torno de 35%, então podemos somar mais 17,500 pessoas. Logo, apenas 27 mil e quinhentas pessoas evacuaram a cidade. O número de mortos na cidade, gira em torno de 20 mil pessoas. Assim, chegamos a 47 mil habitantes, em um total de mortos e evacuados. É impressão minha, ou faltam, pelo menos uns três mil habitantes nessa contagem? Mas, pelo jeito, não foi só eu que notei esse desparelhamento. As famílias dessas 3 mil pessoas, que viviam em outras cidades, também notaram e registraram queixa junto aos órgãos de controle do Partido Comunista, para conseguir informações sobre seus entes queridos. A resposta oficial veio um ano depois, quando foi alegado que algumas pessoas (três mil) não quiseram deixar suas casas e acabaram morrendo.


Chernobyl, a verdade sobre os mutantes Não muito tempo depois de todo o ocorrido, os mutantes de Chernobyl ficaram conhecidos, eram pessoas que haviam sido evacuadas e que tinham deformações físicas e mentais, devido a exposição a um alto nível de radiação. Essas deformações também passaram para seu filhos, bem como outros animais que foram retirados de Chernobyl.Porém, com relação aos poucos mais de 3 mil habitante que não quiseram deixar a cidade de Pripyat (cidade laboral da Usina de Chernobyl), nenhuma outra informação veio a tona. Nem mesmo a localização de seus corpos, que não são avistados em nenhuma filmagem ou imagem da cidade, depois de evacuada. Como os outros habitantes de Pripyat, eles também foram afetados pela radiação e, certamente, sofreram mutações genéticas. Mas, a grande questão é: Onde estão esses mutantes? Porque se tem pouca ou nenhuma informação sobre eles? Existem muitas lendas em torno dos habitantes que restaram em Chernobyl, principalmente na Rússia e Ucrânia (no Brasil são pouquíssimas as informações, se não iguais a zero!), por lá rondam boatos de que esses mutantes ainda estariam vivos e se reproduzindo. Viveriam no meio da mata, que tomou conta da cidade, bem como estariam se alimentando da própria radiação que resta em animais e nos objetos deixados em Pripyat. Os fatos que impulsionam esses boatos, são os de desaparecimento de vários objetos ao redor de Chernobyl, mesmo sendo expressamente proibido tocar em qualquer coisa na cidade, durante os tours turísticos em Pripyat, que são fortemente vigiados.Além disso, qualquer pessoa que se apoderasse do objeto escondido e o levasse para qualquer outro local iria desencadear uma sucessão de mortes por radiação, que jamais passaria despercebida. Outra hipótese interessante é que, com o passar do tempo, começaram a surgir animais selvagens que vivem tranquilos na cidade, por entre as matas.São animais selvagens, como veados e outros do tipo, que conseguiram se adequar a vida junto da radiação. É possível se alimentar de radiação


Até bem pouco tempo atrás, a afirmação seria considerada um desvaneio. Porém, foi localizado nas paredes do reator 4 (reator que explodiu), fungos negros que se alimentam da radiação do local. Fazendo uma espécie de fotossíntese, a partir da radiação. Uma “Radiosíntese”! Esses fungos estão consumindo a enorme pata de elefante (massa extremamente pesada de material radioativa, fruto da explosão). A questão que fica, sobre esses fungos, é como conseguiram ir parar lá, uma vez que o local está isolado por uma enorme caixa de metal? E, também, seriam esses fungos um exemplo do que aconteceu com os humanos que ficaram em Chernobyl? O que explicaria o aparecimento, bem como desaparecimento de animais selvagens ou de objetos que mantém uma grande quantidade de radiação em seu interior? O que os russos alegam é que esses humanos se tornaram os mutantes que, pouquíssimas vezes, conseguiram ser fotografados. Bem como isso explicaria os mais de 250 guardas treinados pela elite do exército russo, que ficam no entorno de Chernobyl impedindo que qualquer coisa entre, ou saia de lá.