quarta-feira, 19 de julho de 2017

Lição de vida da Águia e a Galinha


Um camponês criou um filhote de águia junto com suas galinhas, tratando-a da mesma maneira que tratava as galinhas, de modo que ela pensasse que também era uma galinha.  Dava a mesma comida jogada no chão, a mesma água num bebedouro rente ao solo, e fazendo-a ciscar para complementar a alimentação, como se fosse uma galinha.
E a águia passou a se portar como se galinha fosse.
Certo dia, passou por sua casa um naturalista, que vendo a águia ciscando no chão, foi falar com o camponês:
– Isto não é uma galinha, é uma águia! O camponês retrucou:
– Agora ela não é mais uma águia, agora ela é uma galinha!
O naturalista disse:
– Não, uma águia é sempre uma águia, vamos ver uma coisa. Levou-a para cima da casa do camponês e elevou-a nos braços e disse:
– Voa, você é uma águia, assuma sua natureza!
– Mas a águia não voou, e o camponês disse:
– Eu não falei que ela agora era uma galinha!
O naturalista disse: amanhã veremos.
No dia seguinte, logo de manhã, eles subiram até o alto de uma montanha. O naturalista levantou a águia e disse:
– Águia, veja este horizonte, veja o sol lá em cima, e os campos verdes lá em baixo, veja, todas estas nuvens podem ser suas. Desperte para sua natureza, e voe como águia que és.
A águia começou a ver tudo aquilo, e foi ficando maravilhada com a beleza das coisas que nunca tinha visto, ficou um pouco confusa no inicio, sem entender o porquê tinha ficado tanto tempo alienada.
Então ela sentiu seu sangue de águia correr nas veias, perfilou, devagar, suas asas e partiu num vôo lindo, até que desapareceu no horizonte azul.
Voe cada vez mais alto, não se contente com os grãos que lhe jogam para ciscar. Nós somos águias, não temos que agir como galinhas."
http://www.licaodevida.com/licao-de-vida-da-aguia-e-a-galinha/

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Confusão


O cara está preso na delegacia. O advogado comparece para libertá-lo e pergunta o que havia acontecido. O cliente preso, começa a explicar: 
- Bem, eu estava passando na rua e de repente vi um monte de gente correndo. Estavam socorrendo uma prostituta que acabava de dar a luz a um lindo menino. Então um PM se aproximou de mim e perguntou: 
- O que é isso? E eu respondi: 
- É a puta que pariu!

Tchau Mãe... Lindo!!! Chorei no final


Estava fazendo compras no SUPERMERCADO e uma velhinha me seguia pelas gôndolas, sempre sorrindo.
Eu parava para pegar algum produto, ela parava e sorria: uma graça a velhinha!
Já na fila do caixa, ela estava na minha frente com seu carrinho abarrotado, sorrindo:
- Espero não tê-lo incomodado, mas você se parece muito com meu falecido filho...
Com um nó na garganta, respondi não haver problema, tudo estava bem.
- Posso lhe pedir algo incomum? disse-me a senhora idosa.
- Sim. Se eu puder lhe ajudar...
- Você pode se despedir de mim dizendo "Adeus, mamãe, nos vemos depois"? Assim dizia meu filho querido... ficarei muito feliz!
- Claro senhora, não há nenhum problema, disse eu para alegria da velhinha.
A velhinha passou a caixa registradora, se voltou sorrindo e, agitando sua mão, disse:
- Adeus filho...
Cheio de amor e ternura, lhe respondi efusivamente:
- Adeus mamãe, nos vemos depois?
- Sim... nos vemos depois, querido!
Contente e satisfeito com o pouco de alegria dado à velhinha, passei minhas compras.
- R$ 554,00, diz a moça do caixa.
- Tá louca? Dois sabonetes e duas pilhas?
- Mas as compras da sua mãe..... ela disse que você pagaria!


sábado, 15 de julho de 2017

A Pergunta é...



 


Essa pergunta (e suas variantes) é uma das mais comuns feitas por leigos em evolução, principalmente por criacionistas cristãos.
A pergunta parece fazer sentido para quem pensa que os humanos são o pináculo da evolução, mas não para biólogos ou alguém com mais conhecimento sobre o assunto.
É o equivalente a perguntar “Por que as bananas não evoluem para maçãs?”.
Ocorre que os seres humanos não evoluíram de macacos, orangotangos, gorilas ou chimpanzés.
Todas os humanos, gorilas, símios, orangotangos são espécies modernas que seguiram diferentes caminhos evolutivos, se ramificando através do processo conhecido por CLADOGÊNESE, porém compartilhando um ancestral comum no passado remoto.
A ideia de que macacos deveriam virar humanos é pretensiosa e está enraizada no conceito fundamentalmente errado de que a evolução tem um objetivo.
A evolução maximiza a reprodutividade, as chances de sobrevivência, não uma característica específica como a inteligência.
Os símios pelo mundo ainda existem porque seu ambiente propicia o sucesso reprodutivo de indivíduos com material genético diferente do nosso. Detalhe: somos mais aparentados aos chimpanzés do que estes aos gorilas.
Em resumo, a evolução é um processo contínuo de tentativa e erro, do qual os primatas modernos (incluindo os humanos) ainda fazem parte - assim como as bananas e as maçãs - mas cada um está sujeito às pressões do seu ambiente natural e social próprios, e são estas pressões trabalhando sobre as mutações que fazem a diferença na evolução.
Lembrando que o processo evolutivo costuma ser imperceptível aos olhos humanos, pois acontece a longo prazo em animais de grande porte.

Autor desconhecido

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Realmente existe...



Quando alguém lhe disser: "Vá prá Puta que o Pariu...!", não vai ter mais problema, pois o lugar existe..., e dá até para ir de "ônibus!" O 307 lhe leva.

O lugar fica na cidade de Bela Vista de Minas, em Minas Gerais. Bela Vista, uma pequena cidade cercada de mato, no interior do Estado, guarda uma grande surpresa, um dos bairros tem o nome de Puta que Pariu! Acredite se quiser!
O município de Bela Vista de Minas foi criado pela Lei nº 2764, de 30 de Dezembro de 1962, desmembrando do município de Nova Era, declarando naquele momento, às margens do Córrego do Onça, a Independência de Bela Vista de Minas.
A cidade é divida em 7 bairros: Bela Vista de Cima, Lages, Serrinha, Córrego Fundo, Favela, Boca das Cobras e Puta que Pariu. Duvida? Então veja a placa toponímica do local:


Podem pesquisar!!! É só digitar "Puta que pariu" no Google e confirmar. Só no Brasil mesmo.
Imaginem o padre da paróquia dizer que vai celebrar uma missa na Puta que Pariu...???!!! Ou o Jornal Nacional informar que o debate entre os candidatos ao governo de Minas será realizado na Puta que pariu.
Agora você já sabe. Quando quiser mandar alguém para aquele lugar, é só dizer: Pega o 307 !!!

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Assalto com Freud



Assaltante (entrando no banco):
- Mão pra cima, isso é um assalto! Bora! Todo mundo passando a grana!
Almeida:
- Essa sua fixação por arma de fogo, não sei não, hein.
Assaltante:
- Todo mundo passando a… É o quê, ô palhaço?
Almeida:
- Essa sua fixação por arma de fogo. É claramente uma sublimação da libido.
Maria Helena:
- Almeida dá pra você analisar o indivíduo depois do assalto? Ou quem sabe no céu, depois que ele matar todos nós?
Almeida:
- Maria Helena, o céu é uma ilusão infantil criada pelos homens para…
Assaltante:
- Repete o que tu falou aí, ô paspalho. Tu me chamou de lambido?
Almeida:
- Não, li-bi-do. Em outras palavras, você tá usando essa arma aí numa espécie de manifestação sexual. Talvez por sentir alguma falta.
Maria Helena:
- Almei-dá!
Assaltante:
- Tô sentindo falta de estourar os miolo de alguém, tá ligado? Acho bom tu ficar na tua aí, veio!
Almeida:
- Olhaí, poder. Você só se sente seguro com a arma na mão. A arma, na verdade, é um substituto do pênis. Agora me diga: o que há de errado com seu pênis?
Maria Helena:
- Com o dele eu não sei, mas o teu eu vou arrancar se a gente chegar em casa vivo!
Assaltante:
- Não tem nada de errado com meu pinto não, tá ligado? Nada. Nadinha… Er… Vem cá, tu por acaso andou conversando com a Creide, foi?
Almeida:
- Ah, sabia. Desconforto com o pênis. Seja franco, qual é o problema? Você acha que ele tá abaixo da média?
Maria Helena:
- Eu tenho certeza que o homem tem um pintão, Almeida. Um pinto assim enorme. Um negócio de servir como fita métrica, né, moço? Agora você quer me fazer o favor de calar a boca?!
Assaltante:
- Pra falar a verdade, não, dona. Eu realmente, eu… Sabe, é difícil assim de dizer, mas quando a gente vai num banheiro público e dá aquela espiadinha de lado, sabe como é, eu… Eu tenho um pinto pequeno, eu sei.
Almeida:
- E usa a arma como uma maneira de compensar o que, em sua cabeça, é uma deficiência. Bingo. Não falei pra você, Maria Helena?
Assaltante:
- Parabéns, doutor. Agora, se me der licença, eu vou usar a minha compensação, devidamente carregada com seis bala, pra pipocar seu objeto do desejo.
Almeida:
- Vai matar minha mulher?
Assaltante:
- Não, o senhor. Todo homem tá apaixonado por si mesmo. Eu também li o meu Freud, veio.
Policiais (entrando no banco):
- Mãos ao alto. Pega o meliante. Isso. Algema. Leva pro camburão. Safado.
Maria Helena:
- Almeida, Almeida! Você salvou todo mundo, Almeida, você é um herói. Tô tão orgulhosa de você. (beijando-o) Meu homem! Meu!
Almeida:
- Sentimento de posse. Você teve muita prisão de ventre na infância?

terça-feira, 11 de julho de 2017

O capitalismo


Certa tarde, um famoso banqueiro ia para casa em sua limousine quando viu dois homens à beira da estrada, comendo grama. 

Ordenou ao seu motorista que parasse e, saindo, perguntou a um deles: 
– Porque vocês estão comendo grama? 
– Não temos dinheiro para comida.. – disse o pobre homem – Por isso temos que comer grama. 
– Bem, então venham à minha casa e eu lhes darei de comer – disse o banqueiro. 
– Obrigado, mas tenho mulher e dois filhos comigo. Estão ali, debaixo daquela árvore. 
– Que venham também – disse novamente o banqueiro. E, voltando- se para o outro homem, disse-lhe: 
– Você também pode vir. 
O homem, com uma voz muito sumida disse: 
– Mas, senhor, eu também tenho esposa e seis filhos comigo! 
– Pois que venham também. – respondeu o banqueiro. E entraram todos no enorme e luxuoso carro. 
Uma vez a caminho, um dos homens olhou timidamente o banqueiro e disse: 
– O senhor é muito bom. Obrigado por nos levar a todos! 
O banqueiro respondeu: 
– Meu caro, não tenha vergonha, fico muito feliz por fazê-lo! Vocês vão ficar encantados com a minha casa… Além do mais, a grama está com mais de 20 centímetros de altura! 

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Intolerância


Ninguém, ou nenhum grupo da atualidade pede tanto respeito e tolerância quanto os gays, a ponto até de quererem transformar em crime quem critica seus atos obscenos, imorais e desrespeitosos.


Mas eles sim podem humilhar, desmoralizar, doutrinar, chocar, zombar e achincalhar os cristão, e nenhum veiculo de imprensa reprova tais atos desonestos e agressivos, em uma clara demonstração de uma parceria criminosa entre os LGBT,s e a esmagadora maioria das redações de imprensa contra os cristãos.


Querem respeito? Respeitem! Querem tolerância? TOLEREM opiniões contrárias, e se querem paz, porque declaram guerra contra a esmagadora maioria cristã do Brasil?


Sabem o que significa principio da reciprocidade? Porque respeitar quem zomba de nós? Precisamos sim de uma Parada do Orgulho de Ser Íntegro, não de ser abjeto e desrespeitoso.

Maninho Luz – Facebook


Comentário do Blog: Eu não sou religioso, mas reprovo impetuosamente essa atitude. Se quiser respeito, tem que respeitar.

O Funeral do elefante


Depois de ser a maior atração do zoológico durante vinte anos, o elefante morre.
Ajoelhado ao lado do enorme cadáver do paquiderme, um homem chora desconsoladamente.
O público observa, guardando um respeitoso silêncio.
- Coitado! - uma mulher diz baixinho para seu marido - Ele deve ter sido quem cuidava do elefante, deve ter se envolvido emocionalmente com ele...
- Que nada! - o marido responde - Esse é o cara que tem que cavar a cova!

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Velho, não.


Velho, não.
Entardecido, talvez.
Antigo, sim.
Me tornei antigo porque a vida, tantas vezes, se demorou.
E eu a esperei como um rio aguarda a cheia.

Mia Couto

Frustração e Desespero


Sabe qual é a principal diferença entre frustração e desespero?
Frustração é quando você pela primeira vez não consegue dar a segunda...
Desespero é quando você pela segunda vez não consegue dar a primeira.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Sinceridade loira

Na beira da piscina, duas loiras tomavam um saudável banho de sol, quando de repente uma pomba caga bem na cabeça de uma delas. 
A loira alvejada toma um susto e diz para a amiga: 
- Lucimara, por favor! Diz-me o que tem aqui na minha cabeça! 
- É merda! - respondeu à amiga. 
- Não, Lucimara... Eu estou falando do lado de fora!

O Emprego é seu...

Presado Cenhor,


Quero candidatarme pro lugar de ceqretária que vi no jornau.
Eu teclo muito de pressa com um dedo e fasso contas ben. Axo que sou boa ao tefone em bora seija uma peçoa sem muito extudo.
O meu salario tá aberto há discução pra que o cenhor possa ver o que mim pode pagar e o cenhor axar qui meresso.
Cinceramente,
Catia Vanessa Silva.

P.S: Como meu currico é muito piqueno, abaicho tem uma foto minha.




Resposta do empregador:

Querida Catia Vanessa,
O emprego é seu.
Nós temos correção automática no Word.
Compareça já amanhã...
Beijos!!!
Blog de fuxiqueiro : F U X I C O, O Emprego é seu...
Blog de fuxiqueiro : F U X I C O, O Emprego é seu...

Pato ao molho branco


O marido chega em casa às 18hs e diz para a mulher que teria uma reunião às 22hs mas que ele não iria porque isto era um abuso. 
Mas a mulher, preocupada com o marido, o convence que o trabalho é importante. O marido então vai tomar um banho para se preparar e pensa (foi fácil enganá-la). 
Como toda mulher, quando o homem entra no banho ela revista o bolso de seu paletó. Encontra um bilhete onde nele estava escrito: 
"Amor, estou esperando por você para comermos um pato ao molho branco". 
A mulher coloca o bilhete no lugar e quando o marido sai do banho encontra sua mulher com uma roupa sensual e toda fogosa. 
O marido não perde tempo e parte para o rala e rola. 
A mulher dá-lhe um trato tão caprichado que, ao final, o marido adormece. 
Quando vai chegando a hora a mulher acorda o marido, que não quer mais ir à reunião, mas novamente ela o convence. 
Ao chegar na casa da amante o marido, cansado, diz à amante que hoje trabalhou muito e que iria tomar um banho e descansar um pouco. 
Como toda mulher, quando ele entrar no banho revista o bolso do paletó, e encontra um bilhete onde estava escrito:
"O pato foi, mas o molho branco ficou todo aqui".

quarta-feira, 28 de junho de 2017

A Nossa Realidade!



“Quando você percebe que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mas que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção e recompensada e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada.”   

Ayn Rand

domingo, 25 de junho de 2017

O segredo dos Hunza, o povo que nunca envelhece


Mulheres de 40 anos com aparência de adolescentes, outras dão à luz aos 65 e maioria das pessoas vive mais de 110 anos

Mulheres de 40 anos com aparência de adolescentes, outras dão à luz aos 65 e maioria das pessoas vive mais de 110 anos. Conheça os Hunza, o povo que "não envelhece".
O vale do rio Hunza, na fronteira com a Índia e o Paquistão, é chamado de "oásis de juventude", e não é em vão: os habitantes da região vivem até 110-120 anos, quase nunca ficam doentes e possuem uma aparência muito jovem.
O povo de Hunza destaca-se em muitos aspectos entre as nações vizinhas tanto que fisicamente lembram os europeus e falam sua própria língua-o burushaski- que é diferente de qualquer outra no mundo, e professam um Islã especial, o ismaelita, informa o site Marketium.
No entanto, o mais surpreendente desta pequena nação situado entre as serras da região é a sua notável capacidade de manter sua juventude e saúde: os hunza banham-se em água gelada, mesmo a 15 graus abaixo de zero, jogam jogos desportivos, inclusive após os 100 anos, mulheres 40 anos parecem adolescentes e de 65 dão à luz. No verão, comem frutas e vegetais crus; no inverno, damascos secos, brotos de feijão e queijo de ovelha.
O médico escocês Robert McCarrison, que foi o primeiro a descrever o 'Vale Feliz', enfatizou que os Hunza consomem quase nenhuma proteína. Um dia, em média, comem 1.933 calorias, incluindo 50 gramas de proteína, 36 gramas de gordura e 365 gramas de carboidratos.
De acordo com as conclusões de McCarrison, precisamente a dieta é o principal fator da longevidade desta nação. Por exemplo, as nações vizinhas, que vivem nas mesmas condições climáticas, mas não comem adequadamente, sofrem de uma variedade de doenças e têm uma expectativa de vida 2 vezes mais curta.
Outro especialista, R. Bircher, destacou os seguintes benefícios do padrão alimentar dessa nação incrível: é vegetariano, tem uma grande quantidade de alimentos crus, frutas e vegetais predominam na dieta, os produtos são totalmente naturais e têm períodos regulares de jejum.
Sobre o segredo de sua longevidade, o povo de Hunza recomendam manter uma dieta vegetariana, trabalhar e estar em constante movimento. Entre outros benefícios desta forma de vida, figuram a alegria incluem - os hunza sempre estão de bom humor - e controle dos nervos, não conhecem o stress.
Vale de Hunza com riacho vindo das montanhas geladas.
Povo do Vale de Hunza
Este povo está situado nas montanhas do Himalaia no extremo norte da Índia, onde se juntam os territórios de Caxemira, Índia e Paquistão. São apenas 30 mil habitantes em um vale paradisíaco com 2500 mil metros de altitude, nas montanhas do Kush Hindu.
Vale de Hunza com as montanhas geladas e o córrego proveniente das geleiras.
A região onde vive os Hunza é chamada de “Oasis da Juventude”. Seus habitantes amigáveis e hospitaleiros quase nunca ficam doentes, eles aparentam serem muito mais jovens do que realmente são e lá processo de envelhecimento parece caminhar mais lento. Inclusive pessoas com 100 anos disputam partidas a céu aberto. Não é raro os anciões atingirem os 130 anos e alguns deles os 145 anos, segundo Chrisitan H Godefroy autor do livro ”Os Segredos de Saúde dos Hunzas”.

Foi um médico escocês, Mac Carrisson que descobriu esse povo e com ele conviveu por 7 anos. Primeiramente constatou que os Hunzas eram dotados de uma saúde excepcional. Parece que eram imunizados contra as doenças modernas principalmente o câncer e o infarto do miocárdio e que não conheciam a palavra, doença. De fato, eles estão resguardados da artrite, varizes, obstipação intestinal, úlceras gástricas, apendicites e o mais surpreendente é que as crianças não apresentam caxumba, sarampo ou varicela e a mortalidade infantil é muito baixa. Não é raro ver os Hunzas de 90 anos procriarem e as mulheres com mais de 80 anos passarem por mulheres ocidentais com 40 anos, isto se estiverem em plena forma.
O Dr. Mac Carrisson referiu ter encontrado mulheres Hunza “com mais de 80 anos que executavam, sem a menor aparência de fadiga, trabalhos físicos extremamente árduos durante horas. Vivendo nas montanhas, elas são obrigadas a subir desníveis consideráveis para realizar as suas tarefas quotidianas. Além disso, mesmo em idade avançada as mulheres Hunza permanecem esbeltas e têm um porte de rainha, caminhando com agilidade e elegância. Elas não conhecem a existência da palavra dieta e ainda menos a da obesidade. A celulite também não tem qualquer significado para elas. Os homens são igualmente surpreendentes devido à resistência e vigor, apesar da idade”.
Segundo o livro acima citado, a regra de base da alimentação desse povo é a frugalidade: “Uma frugalidade que não seria excessivo qualificar de extrema.
Os Hunza só tomam duas refeições por dia. A primeira refeição é ao meio-dia. Ora como os Hunza se levantam todas as manhãs por volta das cinco horas, isto pode surpreender-nos, a nós que estamos habituados a tomar almoços copiosos, embora a nossa vida seja essencialmente sedentária. Os Hunza conseguem realizar os seus trabalhos árduos de agricultura durante toda a manhã com o estômago vazio”.

É interessante comentar que a atividade física ou exercício feito em jejum proporciona os maiores efeitos de indução enzimática das enzimas antioxidantes, SODCu-Zn citoplasmática e a SODMn mitocondrial, entretanto devemos salientar que o aumento da capacidade antioxidante não proporciona longevidade de 110- 120 anos.
Já a frugalidade, com uma restrição calórica de 30% é a única maneira provada na literatura médica de bom nível de aumentar a expectativa de vida de mamíferos.

Ainda de acordo com o livro de Godefroy, “Os Hunza alimentam-se principalmente de cereais, incluindo a cevada, o milho miúdo, o trigo mourisco e o trigo candial (novo). Consomem igualmente, com regularidade, frutas e legumes que, de um modo geral, comem frescos e crus ou cozidos apenas muito ligeiramente.
Entre os seus frutos e legumes prediletos, contam-se a batata, as ervilhas, o feijão, a cenoura, o nabo, a abóbora, o espinafre, a alface, a maçã, a pêra, o pêssego, abricó (apricot), as cerejas e as amoras. O caroço do abricó é particularmente apreciado e sempre presente na mesa dos Hunza. Eles consomem a amêndoa do caroço do abricó ao natural ou extraem-lhe o óleo através de um processo transmitido de geração em geração.
O leite e o queijo são para os Hunzas uma importante fonte de proteínas animais. Quanto à carne, não é completamente banida da mesa, mas só é consumida em ocasiões raras, por exemplo, em casamentos ou em festas, e mesmo aí as porções são extremamente reduzidas. A carne é cortada em pequenos bocados e cozida muito lentamente. É rara a carne de vaca e a de carneiro, já que a de criação é mais acessível. Mas o que é mais importante reter é que, sem serem totalmente vegetarianos, os Hunzas, em grande parte devido a razões exteriores, não concedem lugar à carne no seu menu quotidiano”.
O iogurte ocupa, tal como os legumes, um lugar importante na alimentação. Não foram somente os Hunza que compreenderam as propriedades do iogurte. Os Búlgaros, que são grandes adeptos do iogurte, contam na sua população mais de 1666 nonagenários por milhão de habitantes. No ocidente, temos apenas nove nonagenários por milhão de habitantes. A diferença, que é considerável, dá o que pensar e incentiva certamente o consumo de iogurtes. Entretanto, nonagenários com doenças é muito diferente do que estamos tratando aqui.
“As nozes, as amêndoas, as avelãs e os frutos ocupam um lugar importante no menu Hunza. Acompanhados de frutas ou de verduras, por exemplo, na salada, constitui para eles uma refeição completa. Não se pode falar devidamente da alimentação do povo Hunza sem fazer referência a um alimento que é a sua base, ou seja, um pão especial chamado chapatti. Os Hunzas comem este pão em todas as refeições. Os especialistas acreditam que o consumo regular deste pão especial tem influência no fato de um Hunza de 90 anos ainda conseguir fecundar uma mulher, o que, no Ocidente, não passaria de uma fantástica proeza. O chapatti contém realmente todos os elementos essenciais, pois na sua composição entram a farinha de trigo integral, incluindo o gérmen da semente e as farinhas de cevada, de trigo mourisco (sarraceno) e de milho miúdo”
No livro de Godefroy encontramos a receita deste pão, alimento indispensável na mesa deste povo. “As quantidades que indicamos dão para dez doses. A preparação não é muito demorada, exigindo menos de uma hora. Em primeiro lugar, obtenha grãos de moagem recente. Uma mistura de 250 gramas de trigo candial (novo) e de trigo sarraceno dá excelentes resultados nas seguintes proporções: 1/3 de trigo candial e 2/3 de trigo sarraceno, ou seja, no caso que apresentamos, cerca de 80 gramas de trigo candial e 170 gramas de trigo sarraceno, meia colher das de café de sal grosso e 100 gramas de água. Comece por misturar o sal com a farinha. Acrescente lentamente a água, misturando bem para obter uma mistura homogênea, sem grumos. Logo que acabe de colocar toda a água, trabalhe a massa sobre uma superfície enfarinhada, até ela deixar de se colar aos dedos. Embrulhe-a num pano úmido e deixe-a em repouso durante meia hora.
Em seguida faça bolas de cerca de 4 cm de diâmetro e calque-as de modo a formar uma espécie de bolachas muito finas. Coze-las em fogo brando, sobre grelha fina ligeiramente untada. Vire-as a meio da cozedura. O chapatti pode ser servido de diversas maneiras, com queijo, compotas, mel...”
“É importante ressaltar que para o povo Hunza não existe a aposentadoria, as pessoas mesmo com idade avançada, além do respeito com que são tratadas continuam as suas atividades com alegria e disposição. Os idosos são alvo de uma grande admiração por parte dos jovens. Em vez de interromperem bruscamente as suas atividades, eles optam por modificar gradualmente a natureza das mesmas, o que, de resto, não os dispensa sequer das atividades físicas às quais se entregam até uma idade avançada”, segundo o livro referência.
Infelizmente o autor não lança nenhuma hipótese para o que está acontecendo em Hunza, exceto o nobre convite para nós ocidentais imitarmos o quanto possível a alimentação e o estilo de vida deste povo. Como já ressaltamos dieta ou estilo de vida não explica a grande longevidade sem doenças encontradas nestas regiões, entretanto, esses preceitos são de enorme importância para uma vida com saúde.
Chrisitan H Godefroy autor do livro ”Os Segredos de Saúde dos Hunzas”.
http://www.jornalq.com/insolito/909-o-segredo-dos-hunza-o-povo-que-nunca-envelhece.html