quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Quando o bebê de uma aluna começou a chorar, esse professor tomou uma atitude incrível


Muitos professores e instituições de ensino se sentem incomodados com a presença de crianças em uma sala de aula destinada a adultos. Por isso, é muito frequente ver mulheres abandonando os estudos por não ter onde deixar os filhos pequenos. Mas esse professor surpreendeu a todos com sua atitude quando sua aluna decidiu deixar a sala por causa de seu filho, que estava chorando. O professor Sydney Engelberg, da Universidade Hebraica de Jerusalém, estava palestrando sobre comportamento organizacional quando o filho de uma aluna começou a chorar. Ela tentou deixar a sala, se sentindo envergonhada, quando o professor gentilmente pegou a criança no colo e acalmou-a, sem interromper a palestra. Engelber, que tem quatro filhos e cinco netos, permite que suas alunas tragam seus filhos para sala de aula e também os amamentem. De acordo com a filha do professor, ele acredita que nenhuma mãe deve escolher entre a educação e a maternidade.


O professor continuou a palestra como se nada tivesse ocorrido. A foto se espalhou pelo mundo e foi postada em uma rede social pela filha de Engelber. “O jeito que ele vê o conceito de aprendizagem não é só o de absorver os fatos que você deve aprender na classe, mas também aprender valores” disse a filha do professor, Sarit Fishbaine.

Cidade Chernobyl


Provavelmente você já ouviu falar sobre o desastre em Chernobyl, mas vale a pena ressaltar que se trata de uma explosão ocorrida em uma usina nuclear, na antiga União Soviética (Atual Ucrânia). A explosão foi provocada, acidentalmente, por um engenheiro que insistiu em realizar testes sem a precaução necessária. Operando a Usina em menos de 200 pontos de potência, quando eram necessários, pelo menos, 700. O acidente matou muitas pessoas, devido ao contato com a radiação. Todos que trabalharam na contenção dos elementos radioativos, no intuito de salvar a humanidade, morreram pouco tempo depois. Chernobyl, além de um grande desastre, marcou o inicio do fim da União Soviética, pois mostrou como o governo de Gorbachev era inóspito, e só teria avisado a população da cidade laboral de Chernobyl sobre o a dimensão do perigo que corriam, três dias após a explosão da Usina.


A evacuação cidade chernobyl Nesse tempo, cerca de cem ônibus foram enviados para evacuar a cidade, que contavam com mais de 50 mil habitantes. Os retirantes tiveram de deixar tudo que tinham para trás, pois todos os objetos na cidades estavam com uma grande carga de radioatividade.Em cerca de uma semana, a cidade foi evacuada. Mas, espera aí… Será mesmo? Vamos fazer um cálculo rápido: Um ônibus comum agrega, no máximo, 100 pessoas (e estou contando gente pendurada nas janelas, igual ao transporte público no Brasil). Foram 100 ônibus, ou seja, cerca de dez mil pessoas foram embora nos ônibus.Na época, na União Soviética, a média de pessoas que possuíam carros era em torno de 35%, então podemos somar mais 17,500 pessoas. Logo, apenas 27 mil e quinhentas pessoas evacuaram a cidade. O número de mortos na cidade, gira em torno de 20 mil pessoas. Assim, chegamos a 47 mil habitantes, em um total de mortos e evacuados. É impressão minha, ou faltam, pelo menos uns três mil habitantes nessa contagem? Mas, pelo jeito, não foi só eu que notei esse desparelhamento. As famílias dessas 3 mil pessoas, que viviam em outras cidades, também notaram e registraram queixa junto aos órgãos de controle do Partido Comunista, para conseguir informações sobre seus entes queridos. A resposta oficial veio um ano depois, quando foi alegado que algumas pessoas (três mil) não quiseram deixar suas casas e acabaram morrendo.


Chernobyl, a verdade sobre os mutantes Não muito tempo depois de todo o ocorrido, os mutantes de Chernobyl ficaram conhecidos, eram pessoas que haviam sido evacuadas e que tinham deformações físicas e mentais, devido a exposição a um alto nível de radiação. Essas deformações também passaram para seu filhos, bem como outros animais que foram retirados de Chernobyl.Porém, com relação aos poucos mais de 3 mil habitante que não quiseram deixar a cidade de Pripyat (cidade laboral da Usina de Chernobyl), nenhuma outra informação veio a tona. Nem mesmo a localização de seus corpos, que não são avistados em nenhuma filmagem ou imagem da cidade, depois de evacuada. Como os outros habitantes de Pripyat, eles também foram afetados pela radiação e, certamente, sofreram mutações genéticas. Mas, a grande questão é: Onde estão esses mutantes? Porque se tem pouca ou nenhuma informação sobre eles? Existem muitas lendas em torno dos habitantes que restaram em Chernobyl, principalmente na Rússia e Ucrânia (no Brasil são pouquíssimas as informações, se não iguais a zero!), por lá rondam boatos de que esses mutantes ainda estariam vivos e se reproduzindo. Viveriam no meio da mata, que tomou conta da cidade, bem como estariam se alimentando da própria radiação que resta em animais e nos objetos deixados em Pripyat. Os fatos que impulsionam esses boatos, são os de desaparecimento de vários objetos ao redor de Chernobyl, mesmo sendo expressamente proibido tocar em qualquer coisa na cidade, durante os tours turísticos em Pripyat, que são fortemente vigiados.Além disso, qualquer pessoa que se apoderasse do objeto escondido e o levasse para qualquer outro local iria desencadear uma sucessão de mortes por radiação, que jamais passaria despercebida. Outra hipótese interessante é que, com o passar do tempo, começaram a surgir animais selvagens que vivem tranquilos na cidade, por entre as matas.São animais selvagens, como veados e outros do tipo, que conseguiram se adequar a vida junto da radiação. É possível se alimentar de radiação


Até bem pouco tempo atrás, a afirmação seria considerada um desvaneio. Porém, foi localizado nas paredes do reator 4 (reator que explodiu), fungos negros que se alimentam da radiação do local. Fazendo uma espécie de fotossíntese, a partir da radiação. Uma “Radiosíntese”! Esses fungos estão consumindo a enorme pata de elefante (massa extremamente pesada de material radioativa, fruto da explosão). A questão que fica, sobre esses fungos, é como conseguiram ir parar lá, uma vez que o local está isolado por uma enorme caixa de metal? E, também, seriam esses fungos um exemplo do que aconteceu com os humanos que ficaram em Chernobyl? O que explicaria o aparecimento, bem como desaparecimento de animais selvagens ou de objetos que mantém uma grande quantidade de radiação em seu interior? O que os russos alegam é que esses humanos se tornaram os mutantes que, pouquíssimas vezes, conseguiram ser fotografados. Bem como isso explicaria os mais de 250 guardas treinados pela elite do exército russo, que ficam no entorno de Chernobyl impedindo que qualquer coisa entre, ou saia de lá.